umblogsobrecalcutá

Site Meter

pendant que la mousson dévore les esprits

sacrificar a dignidade não como um vitelo
não como o último e mais precioso dos bens
mas sim arremessando e rindo para sufocar a raiva
só os sacrifícios completamente inúteis são válidos
eis-te livre do teu derradeiro lastro, olhos e boca sôfrega já na estratosfera



«C'est à peu près ce qu'il est possible de dire.» (M. Duras, "India Song", 'Remarques générales')

ele aproxima-se do espelho e olha-se ao espelho
ele diz que não precisa de nada daquilo, e que pode escolher a variedade de opróbrio que lhe cabe suportar
ele quer-se livre da necessidade de combater pela felicidade, mas, se batalha houvesse, a sua rude bravura faria dele o campeão
ele escuta os acordes das variações diabelli tocadas numa divisão distante
ele julga-se livre de servir amos
e porém um fragmento de vestido escarlate chega para o desmentir por completo
cada convidado tem uma sentença pronta que resvala de lábios cansados
ele ausenta-se do espelho
ele convida a anfitriã para dançar
o vestido é púrpura, e não escarlate
nenhuma das suas resoluções valerá mais do que um grão de areia quando a VIDA se voltar a interessar pela sua figurazita de mortal ansioso
a dança no espelho parece ao contrário
e no entanto ele está convicto
e no entanto um fragmento de vestido desmente-o
intimidade
ele julga-se capaz de encenar a sua própria queda e de escolher o momento e o modo para a sua vergonha
mas esse faz parte dos direitos de que foi privado há muito
sobretudo esse

um dia ímpar e vulgar de novembro

No filme "India Song", a dada altura, o vice-cônsul de França em Lahore diz coisas terríveis a Anne-Marie Stretter. «Je n'avais pas besoin de vous inviter à danser pour vous connaître. Et vous le savez.» E mais. «Il est tout à fait inutile qu'on aille plus loin vous et moi. Nous n'avons rien à nous dire. Nous sommes les mêmes.» E ainda mais. «Les histoires d'amour vous les vivez avec d'autres. Nous n'avons pas besoin de ça.» E ainda mais. «Je voulais connaître l'odeur de vos cheveux...»
O vice-cônsul de França em Lahore faz aquilo que fazem todos aqueles que estão para lá da esperança e do anseio, ou seja, arquitecta ficções autónomas que contêm a ilusão de um entendimento que é ao mesmo tempo a sublimação e a catástrofe do amor, uma sintonia com a pessoa amada que não requer palavras nem satisfação das normas sociais.
O vice-cônsul de França em Lahore vive o romance com Anne-Marie Stretter pelos dois, dispensa-a de tudo, mesmo de o amar, de se colar ao ritual. «Nous n'avons pas besoin de ça.» Cobre-se de vergonha pelos dois, veste uma dupla camada de pele de pária. Grita na noite.
(Faz-me lembrar "The Beast in the Jungle", esse devastador conto de Henry James sobre a inesperada espessura do nada, de que aliás Duras fez uma versão para palco. No seu final, Catherine ensina a John o desfecho e a explicação de tudo: alguma coisa sucedeu entre ambos, ao longo dos anos, mas bastou que um deles o soubesse. Ao outro, tudo foi poupado, tanto a amargura como o insuportável júbilo. Tudo - excepto o luto subsequente.)

«Les voix 1 et 2 sont des voix de femmes. Ces voix sont jeunes.
(...)
On devrait les entendre toujours avec la plus grande clarté mais à des niveaux sonores qui différeront selon leurs propos. C'est quand elles dériveront vers leur propre histoire qu'elles seront le plus présentes.»

qual é a minha cor?
tu conheces esta resposta: negro
qual é a cor com que pintaram a minha face oculta?
negro
qual a cor do traje do arlequim com que imito os pavorosos jeitos do mundo?
negro
o púrpura...
o púrpura é a cor da minha palavra de bojo
não aquela que eu pronuncio quando chega o momento de me revelar (esse momento nunca chega)
o púrpura é a cor da palavra que espera um bisturi voltado contra mim
espera a luz da maré de doçura infinita que só a aniquilação das esperanças faz surgir

entre julho e mais que julho

toutes les références à la géographie physique, humaine, politique d'India Song, sont fausses:
Ainsi on ne peut pas, par exemple, aller en automobile de Calcutta à l'embouchure du Gange en un après-midi, ni au Népal.
(Marguerite Duras)

preparares-te para o grito????
não vejo nenhum exército para te apoiar nesse ensejo
apenas a tua boca escancarada, e singularmente parecida com um ouvido

e se porventura te falarem de alguém que por ti tudo despiu e de tudo abdicou menos da dignidade
(a dignidade...)
pois bem, espera menos de meio dia até que essa pessoa se chegue a ti para te oferecer essa mesma dignidade, como um artefacto de mediano valor
ele chegará de joelhos, ele chegará a rastejar

Setembro, 2017

"aqueles que construíram uma catedral, não por motivos de culto, mas apenas para acolher a necessidade de sussurrar alusões a uma verdade perversa e assombrosa"
desde logo, as questões de acústica mereceram atenção especial
no centro da nave, as palavras bichanadas ganhavam forma de litania
como se não pudessem referir-se a nenhuma coisa do mundo concreto nem a fantasmas
foi quando a história ficou completa que o edifício foi dado por concluído, e não antes
começou nesse momento uma decadência normal, ignorada pelos povos
"aqueles que partiram para os cantos da terra, como evangelizadores sorumbáticos, emudecidos pela mesquinha reverberação da verdade aprendida"
verdade sobre o bicho homem em luta com o seu enésimo anjo enfadonho
cansado e derrotado


Cuspo arremessado de Janeiro, 2001

Combateremos em terra
combateremos no mar
combateremos nas praias e nos lugares de desembarque
combateremos no ar
combateremos nas cidades e nos campos
combateremos nas repartições de finanças e nos jardins públicos
combateremos em recintos desportivos e nas salas interditas ao público dos museus de belas artes
combateremos nos laboratório do estado, e em parapeitos como pedestais
combateremos como duplos traidores, como renegados, como insubmissos como tudo a perder, a começar pela dignidade
a haver prisioneiros, afogar-se-ão uns aos outros nas palavras da desonra
não haverá lugar a contemplações perante o inimigo, biltre entre biltres
cair como heróis é algo de impensável, pereceremos como animais acossados, todos saliva e garras
NÃO NOS RENDEREMOS NUNCA


838 Julho, 200?

si, d'aventure, india song était representé en France il sera interdit de faire une répétition générale. cette interdiction est levée pour les pays étrangers (marguerite duras)


Não servirei
como é bizarro fazer minhas as palavras de Milton
sem propósitos satanistas, sem raiva concentrada de anjo caído
Não servirei senhores nem suseranos, cultivados e munificentes, ostentando no peito e à ilharga o seu estatuto de utilidade pública
Não servirei males necessários suportados pela tradição
Não servirei atavismos omniscientes, leis naturais edulcoradas por camadas de brejeirice e má poesia
Não te servirei a ti, "velho homem que emerges amiúde", concretização de tudo o que é humano, óleo na máquina de fazer suceder a uma geração a seguinte
milhões de linhagens de homens livres lutaram por causas, e eu reclamo-me deles no momento em que um híbrido de causa e condição de sobrevivência se perfila no horizonte, como um moroso senhor da guerra que desenha as suas estratégias no mapa com o punhal negligente de que se serviu para limpar os incisivos e caninos após uma refeição de carne de caça
cabeça envolta em moldura flamejante
requer-se para imprimir extraordinário impulso
a estas palavras
Não servirei

Segunda, 42 Maio, 2004

O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


Sábado, 0 Março, 2004

O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O dia a seguir a uma dessas Sextas, 19 Março, 2004

O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


Muito antes

O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.


O leitor dos prefácios de Kierkegaard deixou vago o seu lugar do outro lado do espelho, e entregou-se a um demorado vai-vem entre Calcutá e Lahore antes de admitir ao mundo a sua própria culpabilidade: foi ele, ele mesmo, quem disparou sobre a multidão de mendigos, quem retirou os revólveres da gaveta com uma demora voluptuosa. A vergonha fará doravante parte dele, como um cognome, como um estilhaço. Ele prefere a vergonha à indiferença; mas agora tem ambas.