Heinrich von Kleist (1777-1811)Liberté Egalité FraternitéNo tabuleiro de xadrez, as mentiras e a hipocrisia não duram muito (Em. Lasker)Monty Python forever!

arquivos do 1bsk

dezembro 2004

para regressar ao blog, é favor clicar no kleist

 

Terça, 28 Dezembro, 2004

LEITURAS EM LUGARES PÚBLICOS: Uma jovem lia "Pela Água", a edição da Assírio & Alvim dos poemas de Sylvia Plath, sentada precariamente, no cais da estação de metro do Campo Grande, do lado da linha verde. As pessoas em redor pareciam felizes por ter uma leitora de Sylvia Plath entre eles. Sorrisos e trocas de olhares iluminaram a manhã. Ou seria de tarde.


DOZE EM UM: Por vezes, sonho com um post que reunisse todos os pilares destenossoblog (ver canto superior esquerdo), associados em plena harmonia cósmica. Tal desiderato exige estudo e inspiração, e não sei se a maturidade e o traquejo adquiridos ao fim de mais de ano e meio de blogosfera sustentarão tamanha ambição. Esta não passa de uma modestíssima primeira aproximação:

«Em que outra cidade, senão em Paris, se pode ir ao teatro assistir a uma peça de Kleist, depois de uma tarde passada a jogar xadrez ao ar livre no Jardin du Luxembourg, e de uma bela refeição à qual não faltaram as fettucine al gorgonzola, e em seguida permitir-se ainda uma breve incursão por uma livraria com horário nocturno? (Não certamente em Lisboa, se bem que a sua formosura extrema, os seus miradouros e os majestosos palácios setecentistas sejam argumento mais do que suficiente para recomendar uma visita.) Um programa alternativo poderia ser uma sessão de cinema no Quartier Latin, antecedida por uma visita ao Musée d'Orsay. Vejo nesta diversidade um fruto indirecto do espírito republicano e laico cujas raízes remotas podem remontar à duvida metódica magistralmente enunciada por René Descartes na sua obra escrita.»


ANÚNCIOS DE GATO PERDIDO INVENTADOS (5):

PERDEU-SE LINDO GATO

Apesar da trela sofisticada que me custou 29,95 euros
Dinheiro mal empregado, que eu poderia ter usado para comprar uma pestana falsa da Britney Spears no eBay
Investimento de retorno garantido
O gato era preto, ou melhor, branco
Eu cá nem gosto de gatos
Sou uma pessoa importante, os empregados de mesa tratam-me por "senhor doutor"
Nunca escolheria um carro só por ter jantes de liga leve, eu cá tenho princípios
O nome do gato era "Bergotte"
O "onde" e o "quando" são irrelevantes
O futuro das sociedades contemporâneas estará estritamente associado ao desenvolvimento da tecnologia, sobretudo das tecnologias de comunicação
O seu dorso docemente arqueado recortava-se contra o céu, o quase líquido céu das noites sortilégio embriagadas de rumor





Domingo, 26 Dezembro, 2004

DO SENTIDO DA OPORTUNIDADE: Jornalista para o atleta Paulo Catarino, que acabava de concluir a São Silvestre do Porto na terceira posição: «Você é um eterno segundo, não é?»


COMENTÁRIO À COMUNICAÇÃO AO PAÍS DO CARDEAL PATRIARCA DE LISBOA: Não vi a comunicação, nem precisava de ter visto para comentar. Esta comunicação não deveria existir. Não reconheço a ninguém o direito de emitir sentenças sobre assuntos da esfera pública na qualidade de membro de uma hierarquia religiosa. A Igreja Católica cultiva há muito o hábito de combinar uma desconfiança pelo mundo secular com a vontade bulímica de estender a sua influência a todos os assuntos e facetas da vida social. Numa sociedade evoluída, as autoridades religiosas deveriam remeter-se àquilo que dominam, ou seja, os escaninhos da fé e os meandros da teologia. Quanto às mensagens pastorais, o seu lugar é na homilia.
(Tudo isto se aplica igualmente, por maioria de razão, às intervenções papais, previsível amálgama de votos piedosos, banalidades e remoques tendenciosos.)
Estou tanto mais à vontade para dizer isto quanto estou convencido de que D. José Policarpo está longe de ser uma das vozes menos esclarecidas ou sensatas da Igreja Católica portuguesa.


ANÚNCIOS DE GATO PERDIDO INVENTADOS (4):

PERDEU-SE LINDO GATO

Quem acode a um dono cabisbaixo?
Gato de pelagem parda e olhos verdes
Abandono do lar improvável, visto tratar-se de bichano meigo sem antecedentes de rebeldia ou repentes de melancolia
Perdido na Avenida António Augusto Aguiar
Em dia de santa martirizada por incréus
Do lado dos números pares
Seria Santa Catarina?
Responde ao nome "Basin", lido à francesa, para rimar com "Saint-Glinglin"
O seu talento para caçar insectos era lendário
As vendas de "Raid" aqui no bairro eram nulas
O nome de quem o encontrar passará a figurar nas minhas disposições testamentárias
E numa canção épica composta ad hoc





Quinta, 23 Dezembro, 2004

NESTA QUADRA FESTIVA...: Desejamos aos nossos clientes e amigos um FELIZ NATAL, com muita paz, e gentilíssimas cintilações de verde.


NO RULES, GREAT BLOG: "Last Tapes" é o beckettiano nome de um blog que urge seguir com muita regularidade.


Quarta, 15 Dezembro, 2004

SOBRE FUNDO VERDE: Sim, somos excessivamente eclécticos. Falamos sobre tudo, e tudo nos inspira. No nosso modo de operar abundam afinidades com os movimentos da vida, incluindo os da postura, da manipulação e da locomoção. O mundo é tema e proscénio, cujo pavimento húmido pisamos. Repetimos a mesma frase uma centena de vezes. Não chega. Fingimos que a beleza nos penetra, fingimos que cem vezes chegam. Não chega.


AS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS: Há quem diga que as instituições democráticas estão fragilizadas. Sobre isso não me pronunciarei. Apenas sei que as instituições têm barriguitas felpudas, que apetece acariciar com os nós dos dedos, enquanto a noite decorre, monótona, quebrando promessa atrás de promessa.


Terça, 14 Dezembro, 2004

JÁ REPAROU COMO OS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS LISBOETAS ANDAM MAIS SORRIDENTES?: Nos bares da Faculdade de Ciências, uma nova e surpreendente proposta: bolos de bolacha individuais! Com meio grão de café no topo. E porque não um galão de máquina para acompanhar?


CONCERTAÇÃO LABORAL: Lê-se no "DN" do passado dia 9: «Com o objectivo de estimular a criatividade, a iniciativa e o sentido da responsabilidade dos seus funcionários, cinco empresas do Norte associaram-se à Fundação de Serralves para exibir, a partir de amanhã, cinco quadros de Paula Rego.»
Paula Rego é uma artista muito querida, aqui no 1bsk, pelo que esta iniciativa só poderia merecer a nossa integral aprovação. Tratando-se de quem se trata, porém, é de exigir dedo certeiro na escolha dos quadros. Prefiro não imaginar que efeito teria no ambiente laboral a visão diária de obras como "Girl Lifting Up Her Skirts to A Dog", ou "Wife Cuts Off Red Monkey's Tail". É bem verdade aquilo que diz Carvalho da Silva: os direitos dos trabalhadores estão sob perpétua ameaça, nos tempos que correm.


ANÚNCIOS DE GATO PERDIDO INVENTADOS (3):

PERDEU-SE LINDO GATO

Linda gata, para ser mais preciso
Quase marcial no porte
Silhueta e maneira de andar fazem lembrar certos versos de Baudelaire, não posso dizer ao certo quais, pois emprestei o meu volume da Pléiade a um vizinho que, depois disso, me viu em roupa interior, o que me leva a evitá-lo ainda hoje
Responde ao nome de "Oriane", mas também, inexplicavelmente, ao de "Cacilda Oliveira Nunes"
Malha castanha, singular e dorsolateral, sobre a pelagem branca
Nascida no dia do aniversário de Afonso Costa
Se não gosta de gatos, por favor leia na mesma este anúncio
Apreciadora de zarzuelas
Persegue pássaros e sombras de pessoa
Gratidão duradoura para quem der com ela, e a trouxer até mim com a máxima prontidão compatível com as leis da Física.




Segunda, 13 Dezembro, 2004

COMENTÁRIOS KLEISTIANOS SOBRE O SISMO DE HOJE: O sismo que foi hoje sentido no território do continente foi, manifestamente, demasiado fraco para derrubar muralhas de prisões onde estivessem encarcerados jovens que, perante a iminência da execução pública da jovem que seduziram, se preparavam para atentar contra a sua própria vida. Mais uma vez se demonstra que a grande literatura é mais interessante do que a natureza.


A VIDA REAL É DEMASIADO REAL PARA ALGUNS: Lê-se no "Público" de 4 de Dezembro: «O presidente da Comissão Nacional da Pastoral da Saúde, Feytor Pinto, defendeu ontem mais empenho das organizações católicas na defesa do sexo seguro, que não deve ser confundido com o uso do preservativo.» «Em vez de contrariar os comportamentos, tenta-se eliminar as suas consequências», declarou o padre Feytor Pinto.
A principal diferença entre as organizações que combatem o flagelo da Sida e as hierarquias religiosas que acham por bem pronunciarem-se sobre o problema é esta: ao passo que as primeiras enfrentam a realidade e se vêem obrigadas a usar de pragmatismo, as segundas são livres de criar as suas ficçõezinhas piedosas sobre o mundo e aqueles que o habitam - e é essa uma liberdade que costumam exercer com escassa moderação.
As organizações de prevenção da Sida falam pouco em «abstinência sexual, monogamia ou fidelidade», conforme acusa o padre Feytor Pinto? Talvez o façam porque sabem que nenhuma campanha logrará mudar comportamentos a larga escala, em assuntos tão arreigadamente associados a alguns dos impulsos mais poderosos que um ser humano é capaz de experimentar. Pode-se persuadir as pessoas a reciclar embalagens de iogurte por meio de cartazes e spots televisivos; não se pode persuadi-las a enveredar pela monogamia, nem a perseverar pelas virtuosas sendas da abstinência.
Postas perante um problema concreto, as organizações de prevenção da Sida adoptaram uma mensagem simples e directa, que, sem a quimérica ambição de fazer evoluir mentalidades, tem como objectivo principal limitar a progressão da epidemia. Quem se incomoda com a insistência no preservativo como modus operandi predominante faria melhor em propor alternativas realistas e praticáveis. Disso depende a sua credibilidade.


LEITURAS EM LUGARES PÚBLICOS: Um cavalheiro envergando fato e gravata lia "Crime e Castigo", de pé, na sempre bem frequentada linha verde do metropolitano.


A JANELA INTOCÁVEL: A lógica mandaria transferir o enlace da Janela Indiscreta para a secção dos "blogs descontinuados". Eu quero que a lógica vá para Plutão! (Nunca pensei vir a dizer isto.) O melhor blog português de sempre nunca será um "blog descontinuado". O seu fim prematuro (belo pleonasmo) deve ter violado uma mão cheia de leis fundamentais do universo. Já basta. Deixemos as coisas como estão.


O CHEFE RECOMENDA (E EU TAMBÉM): Novas entradas para a coluna dos blogs do melhorio: Welcome to Elsinore, Húmus, Renas e Veados, e Sous les Pavés, la Plage!. Todos excelentes. Leituras edificantes e profícuas, em tempo de crise e de degradação acelerada dos costumes.


Quinta, 2 Dezembro, 2004

UM MINUTO DE REVISIONISMO CINÉFILO!: E se Cary Grant tivesse trazido a Joan Fontaine um galão com café de saco, em vez do copo de leite?


NA DÚVIDA, CRITICAR SEMPRE A FRANÇA: Foi já mencionada por alguns blogs portugueses, recentemente, a controvérsia originada pelo canal de televisão árabe, ao que parece culpado de gravosa prevaricação anti-semita, que estaria disponível em França para todo e qualquer cidadão disposto a pagar alguns euros pela assinatura do satélite. Quando polémicas semelhantes estalam nos Estados Unidos, a referência à sacrossanta primeira emenda (acompanhada por reverência às perucas venerandas de George Washington e Thomas Jefferson) costuma ser quanto basta para dissipar qualquer animosidade crítica. No caso francês, a crispação alimentada pelas sucessivas acusações de anti-semitismo fazem o caso mudar de figura. Culpado de autoritarismo jacobino quando tenta regular e legislar, suspeito de laxismo quando adopta uma atitude menos interventiva, o estado francês parece condenado a resignar-se à sua condição de bombo da festa. Talvez aqueles que mais o criticam venham a aperceber-se, tarde demais, da importância que o seu exemplo poderia ter assumido.


THERE IS A LIGHT THAT NEVER GOES OUT: Ainda a propósito de "Suspicion", Hitchcock afirma, na sua mais-que-famosa entrevista com Truffaut, que colocou um projector no copo de leite (envenenado ou não?) que Cary Grant prepara para Joan Fontaine. «(...) era preciso que fosse extremamente luminoso. Cary Grant sobe a escada e era preciso que as pessoas olhassem só para o copo», declara laconicamente "Hitch".
Luz no interior de um copo de leite... Inadvertidamente ou não, Hitchcock engendrou uma justaposição de poderosíssimo valor simbólico, comparável aos ovos enterrados de Paradzhanov, ou aos relógios sem ponteiros de Bergman. Um copo de leite luminoso seria um excelente candidato para o centésimo primeiro item da panóplia do fetichista cinéfilo.


A IGNORÂNCIA NÃO OCUPA LUGAR (2): Obrigados à Claire pela dica sobre o galão de máquina. Mas talvez a extensão da minha ignorância não tenha ficado bem clara. Eu nem sei qual é a diferença entre o café expresso e o de saco. O café não vem sempre de um saco?
Parece até que estou a ver as expressões condoídas dos meus queridos leitores.